segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

ZUCA SARDAN & FLORIANO MARTINS | Traquinagens & escritos a quatro mãos


1. ZUCA SARDAN & FLORIANO MARTINS | O iluminismo é uma baleia
ARC Edições | Fortaleza, 2016

Capa, colagens, desenhos & fotografias © Zuca Sardan & Floriano Martins
Revisão & projeto gráfico © Floriano Martins & Márcio Simões

R$ 45,00 (frete nacional simples incluso)

Esta é a primeira trilogia de uma experiência de teatro automático que vêm realizando, a quatro mãos, os poetas brasileiros Zuca Sardan e Floriano Martins. O iluminismo é uma baleia está composto pelas peças Circo Cyclame, Trem Carthago e Cine Azteka – três viagens fascinantes pelo mundo da imaginação e da sátira. Livros repletos de um humor cortante e situações delirantes. Ao final, acrescenta-se ainda um making of, composto de três diatribes (orfeica, heroica e satírica), que esmiúçam as entranhas da criação. O livro é também uma galeria valiosa de técnicas plásticas que incluem desenhos, colagens, montagens e fotografias.



2. FLORIANO MARTINS | A grande obra da carne
ARC Edições | Fortaleza, 2017

Capa & vinhetas © Floriano Martins
Desenhos do capítulo central © Zuca Sardan
Desenho de FM orelha © Adriel Contieri
Revisão & projeto gráfico © Floriano Martins e Márcio Simões

R$ 45,00 (quarenta e cinco reais, frete incluso)

Desde cedo o tríptico me desperta atenção. Igualmente a suíte. Aos poucos fui percebendo que meus grandes mestres sempre foram renascentistas. Não os poetas, mas antes os compositores e artistas plásticos. Eu ambicionava trazer para o poema aquelas estruturas. Este truque alcançado cria uma astuta miragem: o plano épico. Na montagem das suítes eu recortei diversas formas poéticas: tercetos, sonetos, odes, provérbios, prosa poética, aforismos… A grande obra da carne é uma soma dessa fonte de ilusionismos. Sua estrutura também revela distintos comportamentos da linguagem poética: extensa suíte, atípico enredo teatral, biografia psicografada. Como todos os meus livros, também este reflete minha natureza andarilha, o que inclui as colagens e vinhetas que atrelo ao sumo dessa aventura criativa. Graças à cumplicidade milenar descoberta com Zuca Sardan, eu tratei de lhe pedir que desenhasse retratos dos cinco personagens que compõem o capítulo central, que empresta nome ao livro. Perambularam comigo, em minha carroça de cigano, Nise da Silveira, Chico Anysio, William Blake e os fantasmas de todos os criadores mencionados da primeira à última página. Não há aventura mais íntima e intensa do que a criação. Quero aqui dedicar a todos nós umas palavras de Federico Fellini, pelo tanto que se encaixam em minha visão de mundo: Sinto a responsabilidade de não enganar, de não contentar-me, de testemunhar, com uma rigorosa aplicação dos instrumentos expressivos de que disponho, a loucura na qual de vez em quando me encontro. Não renunciar ao rigor: a cor, a luz, a perspectiva justa no momento justo. Sem com isto esquecer que a expressão artística tem também um aspecto lúdico: propondo uma visão das coisas, mostrando aos outros um momento meu de bom ou mau humor, convido sempre ao jogo da fantasia. Fellini é um de meus poetas preferidos. A grande obra da carne é um tríptico repleto de truques alquímicos que sigo descobrindo, sempre alheio à intransigência das classificações. Abraxas




Editora CINTRA / ARC Edições | São Paulo, 2017
Coleção "O Amor pelas Palavras" (Amazon)
Capa | Floriano Martins
Revisão & projeto gráfico © Floriano Martins & Márcio Simões

R$ 24,99 (eBooks Kindle)

As deliciosas peripécias descritas e desenhadas, no século XIX, pelo genial Wilhelm Busch, o criador das histórias-em-quadrinhos, tem sua força justamente no contraste da alegria da Fantasia face à carranca da Realidade. No fim, o Mito é sempre posto em farelos pela realidade prática… Nesta múltipla aventura – do teatro automático à narrativa patafísica –, realizada a quatro mãos pelos poetas brasileiros Zuca Sardan e Floriano Martins, concluímos que quanto mais destroçado o Mito mais força ele ganha e retorna para nos salvar de sermos, simplesmente, uns macacos lógicos e eruditos. Farelos do Mytho é uma das mais requintadas proezas estéticas de nosso tempo, reunindo teatro, narrativa, desenhos, fotografias, colagens em um caldeirão delirante sob a pena satírica de dois poetas.




Editora CINTRA / ARC Edições | São Paulo, 2017
Coleção "O Amor pelas Palavras" (Amazon)
Capa | Floriano Martins
Revisão & projeto gráfico © Floriano Martins & Márcio Simões

R$ 24,99 (eBooks Kindle)

Zuca Sardan (1933) destaca-se como a máxima expressão do Collège de Pataphysique no Brasil. Antiga sociedade fundada em Paris em meados do século XX, baseada na ironia, na sátira e no humor negro, é uma corrente antiacadêmica a toda prova. Tendo por mago regente o Doutor Faustroll, personagem criado por Alfred Jarry, o termo surge da contração da frase “epí ta metá ta physiká”, que significa: o que está ao redor do que está além da física. Com quase 30 livros publicados, Zuca Sardan, para manter o espírito patafísico, semeou edições quase sempre de pequena tiragem e por editoras fora de mercado. Este livro, Eccolequá, reúne textos dispersos, perdidos, raros – teatro, poema, prosa, desenho –, em edição empenhada de trazer novamente à luz um dos mais importantes nomes da tradição lírica brasileira.



Na compra de qualquer um desses livros, solicite seu brinde:

ZUCA SARDAN & FLORIANO MARTINS | Circo Cyclame (teatro automático)

ARC Edições | Fortaleza, 2016
Participação especial (posfácio-entrevista) © Kazimir Pierre
Desenhos © Zuca Sardan
Capa, colagens, vinhetas & projeto gráfico © Floriano Martins











CONTATO DIRETO COM OS AUTORES










Um comentário:

  1. Meus dois queridos gênios literários! Parabéns!Leila Ferraz.

    ResponderExcluir